quarta-feira, 22 de Dezembro de 2010

Nutrição Parentérica


A nutrição parenteral designa-se de total, quando constitui o único modo de alimentação, isto é, quando a totalidade das necessidades calórico-protéicas são satisfeitas pela via venosa e de suplementar quando se associa á nutrição enteral ou oral.
         Quando todos os nutrientes que são, habitualmente, absorvidos a partir de uma alimentação oral adequada são fornecidos por via intravenosa, diz-se nutrição parenteral completa. Se apenas são administrados algum/alguns desses elementos, mas não todos diz-se nutrição parenteral específica. Saliente-se que todos os regimes de nutrição parenteral completa são também regimes de nutrição parenteral total, mas o inverso já não se aplica.
         Quando as soluções nutritivas são perfundidas através só sistema venoso superficial adopta-se a designação de nutrição parenteral periférica para distinguir da nutrição parenteral central na qual se usa uma veia do sistema venoso profundo.

Usa-se métodos como:

No sistema venoso superficial, temos como vias de acesso:


Falando agora um pouco mais aprofundado das vias de administração, temos:

NP Periférica:
A nutrição parenteral periférica (NPP) é uma forma de intervenção nutricional utilizada quando a nutrição intravenosa central não é possível ou não é necessária
- Baixa concentração de nutrientes
- Administração na região da mão e antebraço
- Via de escolha para curtos períodos de terapia e sem desnutrição grave
- Transição da Nutrição Parenteral para Nutrição Entérica
- Tolerância osmótica máxima de aproximadamente 900 mOsm/L
- Apenas para as soluções de nutrientes e não para derivados de sangue ou medicamentos

Objectivos:
- Manter o peso estável ou com ligeira redução inicial;
- Tornar o balanço azotado menos negativo.

Evitar:
- Sépsis
- Desidratação ou retenção ou retenção hídrica
- Desequilíbrio electrolítico
- Esclerose das veias ou trmboflebite

Vantagens:
- Mais simples
- Mais barata
- Apresenta menos risco de complicações (infeções ou trmboses)

Desvantagens:
- Não permite a infusão de soluções hiperosmolares (que são as mais nutritivas)
- Necessários mais cuidados de enfermagem e cuidados mais diferenciados.


NP Central:
 É um método de fornecer um suporte nutricional completo, em que o trato gastrointestinal é poupado, introduzindo nutrientes por uma veia central, geralmente veia cava superior.
- Altas concentrações de nutrientes, como glicose, aminoácidos, electrólitos, vitaminam, oligoelementos entre outros…
- Administração através de catéter venoso posicionado na veia cava superior (acesso pela subclávicula e jugular interna)
- Via de escolha para longos períodos de terapia

Objectivos:
- O peso pode manter-se estável, diminuir ou aumentar ligeiramente.
- Tentar balanço azotado equilibrado ou positivo

Evitar:
- Sepsis
- Desidratação ou retenção hídrica
- Embolia gasosa
- Hipo ou hiperglicémia
- Desequilíbrio electrólito
- Alteração hepática
- Deficiência de ácidos gordos
- Deficiência de oligoelementos ou vitaminas

Vantagens:
- Permite a administração de soluções hiperosmolares
- Pode ser utilizada em longos períodos de terapia

Desvantagem:
- Apresenta maior risco de infecções e complicações.


Para se escolher entre elas há que ter em atenção factores como:
- As necessidades energéticas, ou seja, natureza dos solutos administrar;
- O período de tempo em que a nutrição parentérica é necessária;
- O estado das veias periféricas;
- Se o paciente precisa de reabilitação nutricional.

Sem comentários:

Enviar um comentário